Arquivo do mês: abril 2010

Uma carta que Alice nunca mandou II

Eu nunca sei como começar uma carta, não sei se começo com “Meu amor…” ou com “Queria te dizer..”.

Tem outra coisa que eu não sei,  é como devo agir quando estou com você.  Não sei se fico em pé,  sentada , se te olho nos olhos,  se banco a séria,  a engraçada,  a tímida,  ou a tarada.

E os meus braços? Eu nunca sei o que faço com eles,  não sei se coloco na cintura,  se cruzo,  boto as mãos no bolso, ou se te abraço de uma vez!  Já planejei mil maneiras de te dar um beijo, te olhar olhos e dizer o quanto eu quero você. Nos meus pensamentos eu sempre digo a coisa certa na hora certa, então você sorri e me beija, mas quando estamos cara a cara eu me sinto uma idiota. Eu passo o dia fazendo coisas do tipo “se o telefone tocar agora é por que eu tenho que me declarar”.  Eu fico procurando sinais em todas as partes, até na hora do almoço eu penso “se achar um  feijão que se pareça com um coração, eu ligo”, mas  eu nunca vi um…
Eu já analisei todos os seus movimentos,  olhares,  gestos e sorrisos.  Eu sempre sei quando você esta  triste, ou quando você esta feliz e não adianta disfarçar… Você não me engana, mas mesmo sabendo de tudo isso eu  continuo sem saber como agir,  como começar uma carta,  como terminar uma  e  se devo te  entregar.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized